user_mobilelogo

BREVE HISTÓRIA DOS 

OFICIAIS DA MARINHA MERCANTE

 

Os Oficiais da Marinha Mercante têm o início da sua formação profissional em comum com os Oficiais da Marinha de Guerra a partir de 1779 na “ACADEMIA REAL DE MARINHA” que funcionou até 1837, dando esta Instituição lugar ao “COLÉGIO DOS NOBRES” e, posteriormente, à actual “FACULDADE DE CIÊNCIAS DA UNIVERSIDADE DE LISBOA”.

Em 1782 foi criada a “ACADEMIA REAL DOS GUARDAS MARINHAS”, instituição que recebeu os alunos da Academia de Marinha.

Em 1807, devido à invasão francesa, a Academia Real de Guardas Marinhas, retirou-se para o Brasil, instalando-se no Rio de Janeiro, onde funcionou de 1808 a 1822.

Após a independência do Brasil a Academia dividiu-se em duas Academias, uma brasileira e outra portuguesa, regressando esta a Lisboa aonde se iniciou o seu funcionamento em 1825.

Em 1845, por Decreto Real de D. Maria II, a Academia dos Guardas Marinhas, passou a designar-se por ESCOLA NAVAL.

E, 1903, foi criada a “ESCOLA AUXILIAR DE MARINHA” no âmbito da ESCOLA AUXILIAR DE MARINHA o plano de instrução naval que cria os cursos de pilotagem e máquinas, para a Marinha Mercante.

Em 1924, pelo Decreto-Lei nº 10:084, criou por separação da Escola Naval a

“ESCOLA NÁUTICA”.

É também relevante, em termos estritamente profissionais, que os oficiais da Marinha Mercante da classe de máquinas sejam designados “OFICIAIS

MAQUINISTAS” e que por Despacho Normativo do Secretário de Estado da Marinha Mercante de 1976 passarem a ser “ENGENHEIROS MAQUINISTAS DA MARINHA MERCANTE”.